Humans of Adtalem– Colegas no estilo, como manda o figurino

Posted on Posted in Edição 29, Última Edição

humans-of-adtalem-tarjeta-interna

O que DeVry | Faci, DeVry | Facid e Ibmec têm em comum, além de desfilarem no Hall de instituições da Adtalem Educacional do Brasil? As 3 contam com colegas que dão um show quando o assunto é estilo, sendo referências para seus próprios colegas. É isso mesmo, você vai ser apresentado à Maíssa, Isabel e Cynara, colegas que abrilhantam todos os dias a passarela Adtalem.

maissa-fala

Supervisora de Departamento Pessoal na DeVry | Faci, Maíssa Silva é nossa colega desde fevereiro de 2016 e é fã da moda. Isso porque nossa colega faz questão de mostrar, a partir da forma que se apresenta, a importância do espaço onde está.

Ao sair de casa e escolher o “look do dia”, Maíssa busca, além de belas combinações, mostrar uma imagem profissional e bem cuidada. Por isso, ao ser lembrada na sua instituição por “estar sempre na moda”, ela ficou muito feliz. “Sinto meu objetivo sendo atingido, pois é isso mesmo que quero: mostrar para as pessoas que dá para se vestir bem, gastando pouco e colocando a criatividade para trabalhar. Minhas peças são 80% de fast fashion”.

Integrante da Geração Y, Maíssa constrói seu estilo baseada no que recebe das mídias sociais: “fui construindo meu estilo com essas referências da vida virtual, construindo o sabor pelo estilo de vida, formando minhas inspirações do mundo real”.

Quer saber como ela faz para sempre ter um look diferente? “Monto pastas no Pinterest, salvando meu PINS em pastas divididas por temas, e uso o POLYVORE também, aplicativo sensacional para construir combinações de peças muitos semelhantes às nossas. Com ele, faço as #batalhadelooks que posto no meu Instagram, que nada mais é do que duas opções que posso decidir na hora de usar”.

Apreciadora de maquiagens e acessórios, nossa colega sabe a importância de antes seguir o nosso Dress Code, mas sempre incluindo um toque especial. “Primeiro, sigo todas as regras, depois incluo um bom acessório, um ponto de cor na bolsa ou uma peça do look em uma cor mais presente”, finaliza Maíssa.

isabel-fala

10 anos de DeVry | Facid, Coordenadora do Curso de Enfermagem, professora dos cursos de Enfermagem e Medicina, 2 filhas. Correria para Isabel Moreira? Sim. Mas, nem por isso, deixando o estilo de lado. “Sempre gostei de me vestir bem e de saber o que as pessoas estavam usando. Acho que nos últimos anos, com o advento das redes sociais, tudo ficou mais acessível, e minha relação com a moda ficou ainda mais estreita”, explica a Coordenadora.

Nossa colega utiliza muito as mídias sociais e as blogueiras de moda como referência para seus looks, mas tem consciência de que não é qualquer indicação que pode ser utilizada, principalmente em um ambiente profissional. O que faz nessa hora? Busca roupas com estilo corporativo e sempre leva em consideração o código de vestimenta. “Um bom acessório e um bom sapato transformam um look. Você pode usar a mesma roupa, mas dá para mudar o look do dia para noite com alguns acessórios e um sapato diferente”, afirma.

A dica da Isabel para quem quer seguir os seus passos e estar na moda? “A moda não precisa ter uma cara. Moda é aquilo que lhe deixa confortável com seu estilo e sua identidade”. Já o seu truque? “Tenho duas filhas que sempre dão palpite nos meus looks. Até quando eu não peço”.

cynara-fala

Supervisora de Carreiras do Ibmec/MG, Cynara Bastos está desde maio de 2016 na instituição, mas o cuidado com a forma com que se veste e se apresenta aos colegas já vem de muito tempo. “Pela minha experiência anterior como Consultora de Carreira, sempre atentei meus clientes ao cuidado com a apresentação pessoal, e isso faz com que eu me sinta no dever de dar o exemplo”.

Cynara vai além: “seja no atendimento ao aluno, a um parceiro ou mesmo dando uma entrevista, sinto que devo estar sempre atenta à mensagem que estou passando para o mercado por meio da forma como me visto, como me relaciono com as pessoas e também pelo meu discurso”.

Para nossa colega, estar na moda tem tudo a ver com a autenticidade, o olhar crítico sobre o que combina ou não com você. Na hora de ir ao guarda-roupas e montar o visual, seu olhar sempre vai em busca de roupas confortáveis e bonitas. “Valorizo muito o uso de vestidos e saias, gosto de compor o look com lenços e meias-calças. No Ibmec, gosto de usar acessórios discretos e que não chamem muita atenção. Prefiro tons de roupas mais neutros, com cores não muito chamativas”. Na hora de sair, é hora de utilizar ainda mais a criatividade. “A diferença entre o trabalho e o lazer é que, no segundo caso, opto por roupas mais coloridas e descoladas, o que também me agrada muito. Adoro sapatos, pulseiras, relógios, saias e vestidos. Para sair, costumo investir um pouco mais nesse quesito”.

“Fico feliz e muito lisonjeada por ter sido indicada para participar do Flow neste contexto, pois é realmente algo com o que eu me preocupo e invisto. Gosto de saber que as pessoas têm essa imagem sobre mim. Principalmente aquelas que eu também admiro”.

E você, colega, qual é a sua relação com a moda? Fale para a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *