Programa de Desenvolvimento DVB

Posted on Posted in Edição 04

No primeiro trimestre de 2015, a equipe de Treinamento e Desenvolvimento (T&D) da DeVry Brasil realizou  treinamentos que representam um marco diferencial no desenvolvimento do corpo de colaboradores das nossas instituições. Saiba mais sobre os programas que representam o diferencial no desenvolvimento de nossos colaboradores:

Programas-de-desenvolvimento-DVB
Equipe responsável pelos treinamentos:
Erika Nogueira (T&D DVB), Tais(UNIAZUL), Silvia Lima (T&D DVB) e Tamires (UNIAZUL).

 

Leadership School – Teve como objetivo desenvolver gestores do corpo acadêmico para os desafios de liderança.

Experiência de Atendimento DeVry Brasil – Propõe uma nova postura para o CARE de nossas instituições. Esse programa foi desenvolvido em parceria com a UNIAZUL, universidade corporativa da Azul Linhas Aéreas, empresa reconhecida por seu alto padrão de atendimento a clientes.A maratona de novos programas também foi estratégica no sentido de difundir o conhecimento.

Programa de Formação de Multiplicadores que capacitou colaboradores de todas as áreas e cargos para multiplicar programas de treinamentos, nesta primeira fase os multiplicadores repassarão nas IES onde trabalham o programa da Experiência de Atendimento DeVry Brasil.

Confira entrevista com os nossos colaboradores que participaram dos treinamentos:

Denize Bezerra – Secretária Executiva da presidência – DeVry Brasil

denize-bezerra

DeVry Flow: O que os treinamentos trouxeram de novo para sua vida profissional e pessoal?

Denize Bezerra: Dicas comportamentais, maneira de como ser um multiplicador, gestão de tempo, as diversas formas de trabalhar em equipe e engajar nossos colegas, foram algumas novidades que os treinamentos me trouxeram.

DeVry Flow: Você considera estes treinamentos importantes para uma instituição como a DeVry Brasil? Explique.

Denize Bezerra: Tendo como base a visão DVB, e focando no padrão acadêmico internacional, esses treinamentos servem para agregar valor à nossa cultura de atendimento, e assim nos proporcionar um maior desenvolvimento e alcance de uma melhor performance.

DeVry Flow: Após o treinamento, o que significa ser um multiplicador de conhecimentos para você?

Denize Bezerra: A contínua melhoria é o valor que me vem à mente ao tentar resumir o que é ser um multiplicador em minha vida, tanto profissional quanto pessoal. Acredito que ao nos dispor a melhorar, já damos o primeiro passo para o sucesso. Sentir-me engajada em um projeto tão enriquecedor quanto este, me dá uma nova perspectiva na forma de olhar para o grupo. É animador fazer parte da DeVry Brasil.

DeVry Flow: Quais os momentos que mais te marcaram durante a realização dos treinamentos?

Denize Bezerra: Foram tantos momentos maravilhosos que é delicado escolher, mas vamos lá…. Durante o treinamento de multiplicadores internos, posso eleger as apresentações orais, onde cada integrante pôde colocar em prática o que foi aprendido. Ser avaliado e receber feedback de nossos colegas foi motivador. E no segundo momento (atendimento), foi durante a recepção da turma no primeiro dia. Fomos recebidos com uma dinâmica inovadora, que nos ensinou diversas formas de como tratar nossos clientes externos e internos. 

Danyele Araújo –  Consultora de Admissões – DeVry São Luis

dani

 

DeVry Flow: Depois do treinamento, o que é ser um multiplicador de conhecimento?

Danyele Araujo: Ser um multiplicador é entender que compartilhar é melhor do que manter algo só pra você, existe um prazer maior quando a gente sabe que pode ajudar outra pessoa a desenvolver suas atividades, que através de sua ajuda e predisposição ela poderá desenvolver melhor o seu trabalho, o seu dia-a-dia, ser multiplicador também é um sentimento de satisfação, de realização, saber que você pode contribuir que sempre tem algo a melhorar, que pode se policiar em relação a algumas posturas, é também uma auto-reflexão, assim como, é preciso compreender os seus erros para que possa ser espelho, ser exemplo, pois quando compreendemos e aceitamos que sempre existe algo em nós que pode ser melhorado as pessoas te olha de maneira diferente.

DeVry Flow: Como foi a receptividade na Fanor?

Danyele Araujo: Quando cheguei fui muito bem recebida por uma colaboradora que era da Fanor e foi transferida para São Luis, no dia seguinte retornei a instituição para conhecer melhor a estrutura e sempre que passava por algum dos colaboradores era cumprimentada, senti através de gestos, ações e sorrisos a boa receptividade, aqui as pessoas vivem o espírito dos valores TEACH, estes foram muito presentes em cada ação que vivenciei.É uma sensação muito legal!

DeVry Flow: O que achou de Fortaleza?

Danyele Araujo: Depois de alguns anos que eu não visitava Fortaleza, acho que a cidade evoluiu, é uma cidade bastante movimentada, elétrica, não é tão diferente de São Luis, porém mais desenvolvida. É uma cidade quente, bem quente!(risos), porém, uma cidade maravilhosa!

DeVry Flow: O que você achou da Estrutura da Fanor?

Danyele Araujo: Eu já tinha ouvido falar que existia um padrão de sala de aula da DeVry, quando estava passando nos corredores pude ver as salas e achei com uma estrutura realmente diferenciada, demonstra que há uma preocupação com o conforto e bem estar dos alunos, a CASA também é um espaço bastante legal e confortável.  

Elvys Tota – Analista de atendimento – Faci | DeVry.

elvis

DeVry Flow: O que o treinamento agregou a você?

Elvys Tota: Primeiramente, a questão da experiência no atendimento, treinar, rever os procedimentos e melhorar a forma de atender o nosso aluno, fazendo com que ele se sinta satisfeito e saia com um sorriso no rosto e com os seus objetivos alcançados.

DeVry Flow: Cite-nos um dos momentos mais marcantes durante o treinamento?

Elvys Tota: Um dos momentos mais interessantes foi na hora da simulação do atendimento e do feedback tanto do facilitador do programa quanto dos colegas presentes, foi algo bastante importante, pois é muito bom quando podemos contar com alguém para nos dizer onde podemos melhorar, isso só acrescenta o nosso aprendizado e conhecimento.

DeVry Flow: E quanto à receptividade, tanto da cidade de Fortaleza quanto da Fanor, o que você achou?

Elvys Tota: A cidade é maravilhosa, as pessoas são ótimas, a Fanor é uma casa, tem o setor CASA que é direcionado aos alunos, mas a instituição em si tem esse acolhimento que nos faz sentir tão bem. Uma recepção muito boa a qual só acrescenta positivamente o nosso trabalho.

DeVry Flow: Algum sabor gastronômico que sempre vai lhe trazer a memória “a terra do sol”?

Elvys Tota: Sim, carne seca desfiada com purê de batata! Esse prato é ótimo!  Já haviam me falado muito da carne seca e eu provei e aprovei.

DeVry Flow: Algo a mais que gostaria de acrescentar sobre essa experiência?

Elvys Tota: Estou muito feliz, acho que saímos daqui com algo para levar pra nossa terra e praticar a Contínua Melhoria.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *